INSS – Entenda tudo sobre os benefícios

Todo o trabalhador que possui registro em carteira e todo servidor público tem direito a receber o benefício do INSS.

No entanto é um pagamento mensal descontado em folha que garante a longa data um conforto financeiro como a aposentadoria para aquele que tanto trabalhou.

Porém depois de um determinado tempo de contribuição o INSS faz um calculo para verificar o tempo de contribuição do trabalhador.

Portanto se com a soma o trabalhador atingir o tempo necessário, terá direito a um benefício mensal durante o tempo de sua aposentadoria concedida.

INSS – Entenda tudo sobre os benefícios

Entretanto o INSS foi criado durante a presidência de Fernando Collor de Melo em 1988 pelo decreto 99.350.

Como Funciona

Em outras palavras ao conseguir um emprego com registro em carteira ou se tornar um servidor público, tem um desconto mensalmente em seu salário referente ao INSS.

Baseados em:

  • Salários de até R$ 1.693,72 tem uma porcentagem de 08% de desconto;
  • Remuneração Salárial de R$ 1.693,73 a até R$ 2.822,90 tem um desconto de 09%;
  • Salários que são de R$ 2.822,91 até o valor de R$ 5.645,80 tem desconto de 11%.

No entanto esse valor vai sendo arrecadado e com o decorrer do tempo, esses valores vão se acumulando e com o decorrer do tempo com essas atribuições o individuo consegue receber um montante proporcional ao salário durante sua aposentadoria.

Vale ressaltar que o valor total de arrecadação mensal não pode ultrapassar o valor de R$ 513,01 sendo um valor limite, mesmo que o salário seja de um valor muito alto o limite para se descontar é de R$ 513,01 sendo assim por um tempo indeterminado.

Entretanto os valores de repasse ocorrem da seguinte forma, o valor vai sendo arrecado de um funcionário e é pago para aqueles que já se encontram na dependência do benefício.

Da mesma forma se vale para aposentados por invalidez, por auxilio doença, pensão pós – morte, entre vários outros motivos.

Publicidade

Para os Autônomos

No entanto para aqueles que são autônomos e acabam trabalhando para si, podem optar por efetuar os pagamentos do INSS por conta própria também, afinal o limite de valores também vale para essa categoria.

Apenas para ressaltar se existe um valor minímo para ser pago e um valor maximo.

Portanto para essa categoria o mesmo precisa ser considerado de baixa renda e ter cadastro no sistema de Cadastro Único, que é um sistema para programas Sociais do Governo Federal.

Assim sendo se torna um contribuinte individual.

Contribuintes Possíveis

  • Funcionário: Aquele que trabalha em uma empresa e tem carteira assinada;
  • Empregado Doméstico: Aqueles que trabalham com limpeza de casas;
  • Autônomo: O que possui seu próprio negócio, trabalhando por conta;
  • Trabalho avulso: Algum tipo de Freelancer;
  • Segurados especiais: Pequenos agricultores e Também pescadores;
  • Segurado Facultativo: Os Jovens que possuem mais de 16 anos e já pretendem investir, porém não possuem nenhuma renda fixa.

Aposentadoria quem pode?

  • Pessoas que já possuem idade como: Homens 65 anos de idade e mulheres 60 anos de idade, ainda assim se faz necessário comprovar mais de 180 contribuições;
  • Por Invalidez: Pessoas que sofreram algum dano seja dentro ou fora da empresa, e que por essa razão não podem mais exercer suas atividades e nem de outros tipos;
  • Por tempo de contribuição: Homens com 35 anos de contribuição e mulheres com 30 anos de contribuição.

Os pós aposentadoria!

No entanto para se ter uma aposentadoria integral ou proporcional se faz necessário cumprir alguns requisitos que são obrigatórios.

Como por exemplo é necessário ter cumprido um período de carência, que é de 180 contribuições mensais, ou ter sido concedido aposentadoria por Invalidez.

Entretanto em situações onde a aposentadoria por tempo de contribuição é concedida enquanto se trabalha, não tem a necessidade de sair do emprego, pode-se agregar o salário ao benefício sem problemas.

Vale ressaltar que ao receber o primeiro pagamento do benefício, a pessoa não pode efetuar o cancelamento do mesmo. O benefício é irrenunciável.

Em casos de erro de valores ou até mesmo por situações que o valor está divergente. entre em contato com a Previdência social para acertar melhor as condições.

Publicidade